O que é insônia?

Insônia é tipo de distúrbio do sono, caracterizado pela dificuldade para começar ou continuar a dormir. Cada indivíduo possui um tempo necessário para dormir e acordar disposto no dia seguinte, e, apesar da média ser de sete a oito horas, cada um tem seu tempo. O problema é quando esse tempo individual não é alcançado com frequência e a pessoa fica vulnerável a desenvolver problemas de saúde.

Qual a importância do sono?

Quando dormimos, o nosso corpo consolida a memória das coisas vividas e aprendidas ao longo do dia. durante o sono ocorre a redução da pressão arterial, dos batimentos cardíacos, da produção de urina, além de controle da temperatura corporal e relaxamento da musculatura. Alguns hormônios também trabalham ativamente durante o sono, a exemplo da insulina, que controla a glicose no sangue, a leptina, que responsável pela saciedade, a grelina, que estimula o apetite e a somatotrofina, que age no crescimento.

Quando o indivíduo têm insônia, esses hormônios não agem corretamente e há a chance dele ter desenvolver problemas cognitivos, mudanças no metabolismo, além de causar irritação e dores de cabeça e no corpo. Essas deficiências facilitam o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, hipertensão, diabete, ansiedade e depressão.

Quais os tipos e sintomas da insônia?

Há três tipos de insônia: aquela que dura até três semanas, que é chamada de Transiente. A Crônica, que dura mais do que a anterior. E a intermitente, que intercala períodos de sono regular com períodos de insônia. É importante destacar que muitas vezes esse distúrbio do sono é o sintoma de alguma condição médica pré existente, como estresse, problemas neurológicos, hormonais, gastrointestinais e respiratórios, além de transtornos mentais e ingestão de substâncias e medicamentos.

Fatores de risco

É comum mulheres terem insônia na gravidez, assim como pessoas acima dos 60 anos, sob estresse constante, que trocam com frequência o horário para dormir e aqueles que possuem transtornos psicológicos, mas qualquer um pode desenvolver esse distúrbio do sono.

Um exemplo disso são os casos onde a insônia é pscicofisiológica, ou seja, uma situação onde os níveis de alerta e vigilância são preponderantes e dificultam o sono, a exemplo de uma mudança de emprego ou perda de um ente querido. Até mesmo uma alimentação ruim antes de dormir ou ficar muito tempo assistindo TV ou mexendo no celular, pode prejudicar o sono.

Com tratar a insônia?

Como as causas da insônia são diferentes, também são diferentes as formas de se tratar esse distúrbio do sono. Muitas vezes, apenas uma mudança de comportamento, já traz grande alívio ao paciente, a exemplo de ter horários fixos para dormir e acordar, evitar o uso de telas de aparelhos eletrônicos logo antes de dormir, não cochilar ao longo do dia, comer alimentos leves à noite, não realizar atividades físicas antes de dormir, usar protetor de ouvido, evitar consumir café, nicotina, álcool e algumas substâncias, usar cortinas blackouts ou máscara para os olhos, além de tentar relaxar antes de dormir, com músicas, chá, meditação ou mesmo um banho morno.

Se essas técnicas não funcionarem, é preciso que o paciente procure um profissional habilitado, para entender as causas desse distúrbio do sono e recomendar o tratamento ideal, que pode ter ajuda de psicólogos e remédios para insônia.